segunda-feira, 5 de março de 2012

Serra na Frente en SP

Mesmo com 3% no Datafolha, PT não muda campanha

O ex-governador José Serra (PSDB) disse que recebeu com “agrado” a pesquisa

SÃO PAULO - O ex-governador José Serra (PSDB) disse que recebeu com “agrado” a pesquisa Datafolha, divulgada no sábado, em que ele subiu nove pontos percentuais e chegou a 30% das intenções de voto para a prefeitura de São Paulo. O tucano, entretanto, classificou como prematura qualquer projeção dos números para os próximos meses. O PT do pré-candidato Fernando Haddad, que apareceu com 3%, minimizou a liderança do adversário, dizendo que ela se deve à participação dele em outras eleições. Segundo os petistas, nada muda na estratégia de trabalho.

A pesquisa mostrou em segundo lugar o pré-candidato do PRB, Celso Russomanno, com 19%, seguido por Netinho de Paula (PC do B), com 10%, Paulo Pereira da Silva (PDT), 8%, Soninha Francine (PPS) e Gabriel Chalita (PMDB), empatados com 7%, e Haddad, com 3%. O levantamento foi realizado nos dia 1 e 2 deste mês, e a margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos. Em todos os cenários pesquisados, Serra ficou em primeiro lugar. O Palácio do Planalto indicou, na semana passada, o senador Marcelo Crivella (PRB-RJ) para o Ministério da Pesca, de olho no eleitorado de Russomano.

— Eu vejo a pesquisa com agrado, mas não creio que ela reflita o que vai acontecer mais adiante. Essa campanha vai ser muito difícil. Vamos ganhar, se Deus quiser, mas, para isso, teremos muito trabalho — afirmou o ex-governador, no sábado à tarde.

O presidente municipal do PT, Antônio Donato, disse que a eleição está longe e que os números não preocuparam.

“Recebemos os números com tranquilidade. A eleição ainda está distante e os nomes bem colocados já participaram de outras disputas, portanto, têm um recall grande”, afirmou ele, em nota. O PT diz que não vai mudar os rumos da campanha

Serra disputa com os tucanos José Aníbal e Ricardo Trípoli a vaga de candidato a prefeito do PSDB. As prévias estão marcadas para o dia 25. No cenário em que Serra é substituído por Aníbal, o PSDB ficou com 4% da preferência dos entrevistados. Trípoli teve 3%.

Ambos atribuíram a um recall eleitoral (a lembrança que o eleitor tem da participação de um candidato em disputas anteriores) a liderança do ex-governador no levantamento.

— Pesquisa é muito recall. Ela reflete o que aconteceu para trás. Estamos num processo de prévias no partido — afirmou Trípoli.

— Qualquer um com a exposição que teve o Serra nos últimos dias ia crescer na pesquisa — disse Aníbal, referindo-se à pesquisa Datafolha publicada em janeiro, quando o ex-governador tinha 21%.

Entre os entrevistados ouvidos pelo instituto Datafolha, 66% acham que, se eleito prefeito, Serra concorreria à Presidência em 2014. O ex-governador anunciou no dia 27 de fevereiro que pretende participar das prévias que escolherão o candidato do partido à sucessão do prefeito Gilberto Kassab (PSD). A pesquisa indica que 76% dos eleitores lembram que Serra deixou a prefeitura em 2006 para concorrer à Presidência.



Nenhum comentário:

Postar um comentário