segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Gaddafi preferia morrer na Líbia a ser julgado pelo TPI, diz ex-aliado

O ex-chefe de segurança de Muammar Gaddafi narrou as últimas semanas de vida do ex-ditador líbio, até sua morte em Sirte no dia 20 de outubro, descrevendo-o como um homem "deprimido e ansioso" que preferia "morrer na Líbia a ser julgado" pelo TPI (Tribunal Penal Internacional).

No dia 27 de junho, o TPI emitiu um mandato de prisão para Gaddafi, seu filho Saif al Islam e Abdallah al Senussi, ex-chefe do serviço secreto e militar da Líbia, por crimes contra a Humanidade.

A medida agravou as coisas, afirma Mansur Dau, ex-chefe do serviço de segurança, preso em Misrata: "O mandato do TPI fez com que ele e seus filhos decidissem ficar na Líbia (...). Gaddafi dizia 'eu prefiro morrer na Líbia do que ser julgado pelo (procurador do TPI Luis) Moreno-Ocampo'".

Saif al Islam e um outro filho, Muatassim, "queriam que Gaddafi ficasse, sobretudo Saif", considerado seu sucessor, enquanto "Senussi fazia pressão para que ele partisse".

Em 19 de agosto, as forças do CNT (Conselho Nacional de Transição) chegaram a Trípoli e Muammar Gaddafi fugiu para Sirte, sua terra natal.

"Gaddafi sabia que era o fim (...) desde que suas tropas foram expulsas de Misrata. Depois disso, ficou cada vez mais nervoso", lembra Dau.

"Ele estava sob pressão, porque seus amigos o abandonaram: Berlusconi (premiê italiano), Sarkozy (presidente francês), Erdogan (primeiro-ministro turco) e Tony Blair (ex-primeiro-ministro britânico). Ele considerava estes líderes como amigos próximos", disse.

No início, Gaddafi viveu em um hotel em Sirte, mas com os ataques do CNT aos arredores da cidade em meados de setembro, passou a trocar de abrigo quase diariamente por medida de segurança.

Suas provisões diminuíram e os combates se intensificaram, devastando a cidade. A eletricidade e a água foram cortadas e os alimentos se tornaram raros.

Muatassim, hoje morto, comandava os combates em Sirte, enquanto Saif, atualmente foragido, "ficou em Bani Walid", outro reduto pró-Gaddafi, que caiu logo antes de Sirte. "Eu nunca mais o vi desde então", contou Mansur Dau.

Os combatentes fiéis ao ex-ditador caíam um após o outro sob o fogo dos pró-CNT, enquanto voluntários de Sirte sem experiência tentavam ajudar.

"Gaddafi lia livros, fazia muitas anotações e dormia. Era Muatassim que comandava os combatentes. Gaddafi nunca lutou. Ele estava velho", explicou.

CERCO

No dia 19 de outubro, a situação ficou desesperadora: a última quadra do bairro n°2 de Sirte é cercado e bombardeado pelo CNT e pela Otan.

Ele saiu decidido A partir para o sul, na direção de Wadi Djaref, próximo da cidade natal de Gaddafi.

"Um erro monumental", diz Dau: "Foi ideia de Muatassim. Ele tinha em torno de 45 veículos, de 160 a 180 homens, alguns feridos. A partida deveria ocorrer às 3h30 da manhã (20 de outubro), mas demoramos três ou quatro horas antes de partir (...), pois os voluntários de Muatassim estavam mal organizados".

O comboio saiu no amanhecer e foi rapidamente percebido pela Otan, que iniciou um ataque aéreo. Os combatentes do CNT continuaram o trabalho, matando ou capturando os sobreviventes.

Ferido, Gaddafi foi encontrado escondido em tubulações de água e esgoto. Foi pego pelos combatentes de Misrata, apanhou, foi insultado e humilhado. Duas horas depois, ele estava morto com um tiro na cabeça e outro no peito.

Luana Piovani diz que Lula deve tratar câncer na rede pública

Nem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, 66, escapa da língua afiada da atriz Luana Piovani, 35.

Na manhã desta segunda-feira, ao ser questionada por um seguidor se já leu alguma notícia relevante, ela ataca.

"Hoje até que não, mas o Lula com câncer devia se tratar no SUS (Sistema Único de Saúde)!! Ah, isso devia!! Fica sempre se gabando que a saúde aqui melhorou, pode?!?"

O ex-presidente foi diagnosticado com câncer na laringe no último sábado (29) e começa o tratamento de quimioterapia hoje no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo.

Desde sábado, quando a doença foi anunciada, uma "campanha" no Facebook e no Twitter sugere que Lula trate sua doença no sistema público de saúde.

Luana Piovani aderiu à campanha para Lula fazer tratamento no SUS

Tratamento de Lula começa hoje

Só pra constar...

Orlandeli

sábado, 29 de outubro de 2011

Lima Barreto ganha adaptação para os quadrinhos

Em uma das cenas iniciais de "Clara dos Anjos", adaptação para quadrinhos do romance homônimo de Lima Barreto, o personagem Cassi Jones -um caricato sedutor carioca- é flagrado na cama alheia, prestes a deflorar uma jovem.

Munido de uma pistola, o pai da moça esbraveja: "Indecente! Eu mato... Dou-lhe um tiro na boca!".

"A frase não estava no romance original. Mas escolhi usá-la porque soa gostosa", disse, por telefone, o roteirista Wander Antunes, 45. "Pensei: 'Agora esse livro é meu. E tudo o que o Lima Barreto narra em terceira pessoa vai ser encenado'."

Antunes assina com o ilustrador Marcelo Lelis, 44, a adaptação daquele que foi o último romance de Barreto, publicado após sua morte. Recriado em aquarela sobre nanquim, "Clara dos Anjos" será lançado em novembro pela Quadrinhos na Cia. O posfácio é de Lilia Schwarcz.

Barreto ainda escrevia "Clara dos Anjos" quando morreu, em 1922, de infarto. Deixado incompleto, o livro retratava o subúrbio carioca onde morava, ao qual ele se referia, de forma ácida, como "o refúgio dos infelizes".

Na trama, Clara é uma jovem mulata engravidada pelo conquistador Cassi Jones. Desassistida e maltratada por causa de sua cor ("A culpa foi sua, negrinha!", condena a mãe de Jones), chega ao fim da história "grávida, pobre e preta", conforme escreve Schwarcz.

"O Lima Barreto era um crítico da elite", diz o desenhista Lelis, que pesquisou a iconografia do Rio nos anos 20 para reproduzir a cidade com fidelidade.
Antunes concorda: "Ele tinha raiva -e eu gosto de quem tem raiva".

Após um ano e meio debruçado sobre o romance, conclui: "Esse tipo de tragédia ainda não acabou. O subúrbio do Rio continua a ser habitado por pessoas invisíveis".


Trecho de "Clara dos Anjos", adaptação em quadrinhos de Marcelo Lelise Wander Antunes para livro de Lima Barreto
Trecho de "Clara dos Anjos", adaptação em quadrinhos de Marcelo Lelise Wander Antunes para livro de Lima Barreto

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Silêncio perigoso.

Silêncio perigoso.

Eu confesso que refleti muito antes de publicar esse texto. Hoje em dia, nessa cidade e região, e por que não dizer, nessa terra pequena de mundo parabolicamará, todo cuidado é sempre muito pouco.

Refiro-me a decisão da Justiça de SFI em apreender o material de informática de um blogueiro da região.

Primeiro: Não conheço o teor da ação que deu causa a decisão cautelar, portanto, pode ser que se trate de lide de outra natureza. Mas pelo que declarou o blogueiro, a medida judicial está entranhada em processo movido por conta de um comentário publicado em seu blog.

Se for assim, temos um precedente tão perigoso, quanto inútil, mas que se destina a atacar um dos pilares do Estado de Direito, a liberdade de expressão.

Sim, porque se há um conteúdo ofensivo, e que mereça a constrição judicial, ataque-se o ponto exato, e responsabilizem-se os autores na medida e proporção exata de sua culpa, ou é o caso de demolir um prédio para consertar um vazamento ou curto-circuito?

Invadir uma residência para tolher um cidadão de sua propriedade por um "crime de opinião" é mais ou menos como cortar a mão de uma criança que afanou um doce.

Lembrem que a ministra do STF no caso Daniel Dantas manteve o HD do banqueiro mafioso por anos inviolável, apenas porque ali poderiam estar dados invioláveis de pessoas alheias ao processo. Argumento duvidoso, mas que ganhou ares de verdade justíssima apenas pela condição do seu proponente.

E como ficará a intimidade do blogueiro, uma vez que todos seus arquivos pessoais foram junto com o teor da postagem e do comentário, que aliás, poderiam ser apagados ou removidos no provedor de conteúdo, ou pelo simples pedido do ofendido junto ao blogueiro?

Assim, o juiz de direito que exarou a decisão, ainda que formalmente e "juridicamente" (legalmente) convencido dos argumentos da parte ofendida, extrapolou todo o bom senso, que antes da técnica, é o que reveste (ou ao menos deveria) a luta pelo Direito.

De tão manipulado e distorcido, esse princípio constitucional corre o risco de cair na vala comum da banalização, e podemos todos sermos atingidos, sem nos dar conta.

Eu menciono a indiferença de jornalistas (de todos os credos e "coleiras), da maioria dos blogs e demais comentaristas e blogonautas.

A tentação de partidarizar a defesa, e deixar o blog de SFI à sua própria sorte, ou restrito a defesa dos seus pares, é grande.

Afinal, eles mesmos, pelo discurso de uns e de outros, adoram ameaçar os blogueiros com medidas semelhantes.
Não é o caso do blog constrangido, é verdade, que se caracteriza por uma defesa "mais equilibrada", digamos, dos seus interesses garotistas em SFI, ainda que também enverede pela falsa de pretensão da "imparcialidade inexistente.

Mas esse é o ponto intrincado e complicado da Democracia: Defender o inimigo de suas próprias iniqüidades, para resguardar todo um SISTEMA, que afinal, todos integramos.

Ou seja: A defesa da liberdade de expressão, e do blog de SFI, censurado e violado em seu material de trabalho por medida judicial, é um dever de todos que militam na blogosfera e acreditam nela como instância de comunicação social, independentemente de quem seja a vítima do autoritarismo judicial.

O nosso silêncio sobre esse tema é prova de que eles estão a conseguir o que pretendiam.

Há uma diferença entre medo e pânico. Medo é saudável, e ajuda a medir o risco. Pânico é covarde e paralisa os sentidos.


Não à censura em SFI, não à censura em qualquer lugar!

Planície lamacenta.Douglas da Mata

Esse Eike Batista é esperto mesmo!!!

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Estudantes sinalizam com alvos em vermelho e branco as crateras nas vias



Munidos de pincéis e tinta, os estudantes Natasha e Luan começaram a alertar motoristas em junho (Gustavo Moreno/CB/D.A Press)
Munidos de pincéis e tinta, os estudantes Natasha e Luan começaram a alertar motoristas em junho
A estudante Natasha de Albuq, 19 anos, não consegue calcular o quanto já gastou em oficinas mecânicas. A aluna de Artes Plásticas da Universidade de Brasília (UnB) conta que já teve dois pneus furados, várias calotas perdidas e rodas amassadas, resultado dos inúmeros buracos espalhados pelas vias do Distrito Federal. Cansada dos prejuízos, ela e o amigo Luan Haickel, 20, estudante de engenharia, decidiram sinalizar, com alvos em vermelho e branco, as crateras nas vias do DF.

A ação começou em junho, quando os estudantes pintaram em volta de cinco buracos próximos à UnB. Munidos de bicicletas e um triângulo de sinalização de carro, Natasha e Luan colorem as vias em horários em que o trânsito é menor, geralmente à noite.

Desde então, a dupla já sinalizou outros 21 buracos, a maioria nas imediações da UnB. Os alvos também podem ser vistos no Setor de Indústria e Abastecimento (SIA), na comercial da Quadra 111 Norte, na área residencial da 405 Norte e, mais recentemente, na W3 Sul, no início da L3 Norte e em frente ao Conjunto Nacional. A escolha dos locais é aleatória. “Onde nós passarmos e houver buraco, se tivermos tinta e a chuva deixar, fazemos os alvos”, explica Luan. Segundo os estudantes, a maioria das crateras sinalizadas na Universidade já foram tapadas.

Os custos da ação saem do bolso de Natasha e Luan. De acordo com a estudante, o preço de duas latas — nas cores vermelha e branca — fica em torno de R$ 90. Com elas, é possível pintar cerca de 10 buracos. Para expandir a ação, os estudantes espalharam cartazes com um endereço de e-mail criado para denúncias. “Criamos o e-mail para saber quais os buracos que mais incomodam. Queremos também ver se o pessoal aprova a atitude, porque não deixa de ter uma certa utilidade pública”, diz Luan. “Pretendemos expandir para outras áreas da cidade, mas o que tem atrapalhado são as chuvas”, completa Natasha.

Ruas esburacadas
De acordo com a Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap), 24 equipes — com 120 homens ao todo — atuam nos serviços de tapa-buraco, recapeamento, construção de ramal e limpeza de bocas de lobo no DF.

No período mais crítico da chuva, entre dezembro e janeiro, a Novacap promete 40 equipes nas ruas da capital. Uma licitação para contratação de cinco equipes tapa-buraco itinerantes com caminhões de alta tecnologia já está em andamento. A Novacap se compromete ainda em criar, até o início de novembro, um número de telefone para atender às demandas da população. Enquanto isso, os brasilienses podem continuar usando a central 156.

Governo vai reter verbas para ONGS por um mês


O governo Dilma Rousseff prepara decreto para suspender por um mês todos os repasses de recursos federais para convênios com organizações não governamentais.

Nesses 30 dias os ministros terão de rever todos os atos assinados pelas pastas e ratificar os convênios em curso.

No inquérito aberto no Supremo para investigar irregularidades na pasta, a ministra Cármen Lúcia abriu um prazo de 10 dias para que o TCU (Tribunal de Contas da União) e a CGU (Controladoria-Geral da União) enviem ao tribunal todos os convênios do Ministério do Esporte sob investigação que foram assinados na gestão de Orlando Silva.

O prazo vale também para que a pasta envie documentos sobre contratos firmados no programa Segundo Tempo.

O ministro é suspeito de participação num esquema de desvio de recursos do programa Segundo Tempo, que dá verba a ONGs para incentivar jovens a praticar esportes. A acusação foi feita à revista "Veja" pelo policial militar João Dias Ferreira.


sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Divisão de royalties abala relação entre Dilma e Cabral


PUBLICIDADE

O encaminhamento das discussões sobre a divisão das receitas do petróleo tem estremecido a relação entre o governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), e a presidente Dilma Rousseff.

Ontem, após a aprovação pelo Senado de um projeto que diminui a fatia do Rio nos royalties, Cabral manifestou "fé absoluta" de que Dilma vetará qualquer mudança prejudicial ao Estado.

Nos bastidores, porém, ele trabalha com a possibilidade de que Dilma sancione a versão final da nova lei, após sua aprovação na Câmara, o que o levará a recorrer ao Supremo Tribunal Federal.

É improvável que o peemedebista parta para um rompimento total com a presidente, mas os planos de uma aliança eleitoral em 2014 seriam abalados.

Roberto Stuckert Filho -7.jul.2011/Presidência da República
Dilma Rousseff e o governador do Rio, Sérgio Cabral, durante inauguração do teleférico do Morro do Alemão
Dilma Rousseff e o governador do Rio, Sérgio Cabral, durante inauguração do teleférico do Morro do Alemão

Isolado no plano nacional, Cabral tem conseguido aglutinar todos os atores políticos estaduais na defesa de sua posição sobre os royalties.

Recente reunião com a bancada de deputados do Rio teve representantes de PSDB, DEM e PSOL, oposição no Estado. Todos deram apoio à atuação do governador.

Um dos mais enfáticos aliados de Cabral na tentativa de impedir as mudanças é o senador Lindberg Farias (PT).

Em 2014, porém, Dilma e Lindberg, pré-candidato à sucessão do governador, podem estar em um palanque e Cabral e seu candidato, o vice-governador Luiz Fernando Pezão, em outro.

Cabral, que já tinha dito que os eleitores do Rio não esqueceriam a "covardia" de quem tirar dinheiro do Estado, ontem citou o êxito eleitoral de Dilma em 2010, dando a entender que ele não se repetiria em 2014 caso ela não vete a mudança nos royalties.

"Eu tenho certeza que a presidenta Dilma será coerente com o que ela declarou na campanha [de que manteria o decidido no governo Lula]. Esse tema está acima do fato de ela ter tido mais de 70% dos votos do Estado", afirmou.

Nos últimos dias, Cabral já havia cobrado que o governo federal não fosse "omisso" na questão. Reiteradamente, ele elogia a atuação de Lula na questão, em contraste à da presidente.

A perda de receita estimada do Estado em 2012 com a nova lei é de R$ 1,5 bilhão. Até 2020, o Rio calcula uma perda de R$ 20,6 bilhões.


quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Senado aprova nova divisão da renda do petróleo

O Senado aprovou nesta quarta-feira novo modelo de distribuição das receitas do petróleo. Isolados, os Estados e municípios produtores, Rio e Espírito Santo principalmente, foram derrotados e vão perder no total cerca de R$ 3,6 bilhões no próximo ano.

A União também sai perdendo, R$ 2,5 bilhões em 2012, mas havia aceitado ceder para aprovar o texto do relator Vital do Rego (PMDB-PB), que beneficia os Estados e municípios não produtores, que vão ganhar no próximo ano R$ 8 bilhões.

O texto aprovado, que ainda será analisado pela Câmara, atinge todas as áreas já licitadas, inclusive do pré-sal, pelo regime de concessão. Também está previsto um sistema de partilha para a exploração de novas áreas de petróleo do pré-sal, em que uma parte da produção fica com o governo.

A votação do texto principal foi simbólica, com os senadores do Rio e Espírito Santo declarando voto contrário em protesto ao projeto que eles consideram inconstitucional e prometem recorrer ao STF (Supremo Tribunal Federal).

Pela proposta, nos poços já licitados, a fatia da União na distribuição de royalties cai de 30% para 20% no próximo ano. Na participação especial, tributo cobrado sobre os campos mais produtivos, a parcela da União reduz de 50% para 42%.

Já para os Estados produtores a fatia dos royalties cai de 26,25% para 20% em 2012. Na participação especial, recua de 40% para 34%. A maior perda ficou na parcela de municípios produtores, que a partir de 2012 terão sua fatia nos royalties reduzida de 26,25% para 17%. Depois, essa cota terá queda gradual, até 4% em 2020.

No caso da distribuição de royalties do futuro sistema de partilha de produção, o governo conseguiu aprovar emenda retomando para a União a fatia prevista no projeto do ex-presidente Lula, de 22%. Segundo o relator, esse aumento de dois pontos percentuais sai da conta dos Estados e municípios não-produtores, que passam a ficar com 49% do fundo especial.

Ficaram mantidos os percentuais para os Estados produtores (22%), municípios produtores (5%), municípios afetados (2%), Estados não-produtores (24,5%) e municípios não-produtores (24,5%).

Para viabilizar a aprovação do texto, o relator recuou nos pontos polêmicos colocados por ele no texto e que não contavam com o apoio nem do Palácio do Planalto nem da maioria dos senadores.

Ele retirou do seu projeto artigo que alterava os limites territoriais que definem os direitos de Estados e municípios produtores sobre campos no mar. A proposta prejudicava principalmente Rio e Espírito Santo, que perderiam campos de exploração do pré-sal, e beneficiava Santa Catarina, Paraná e São Paulo, por exemplo.

Motivo: traçava uma linha reta a partir da fronteira entre os Estados. Regra atual, definida pelo IBGE, leva em conta um ângulo, formando uma espécie de cone entre as bacias, o que faz com que área localizada na bacia de Santos beneficie o Rio.

Caiu ainda do relatório de Vital do Rêgo sua proposta de fixar um teto de 40% para a dedução de custo de petroleiras no cálculo da parcela de lucro na exploração de petróleo a ser dividido com a União. O artigo não tinha o apoio do governo e era criticado pela Petrobras e petroleiras privadas.

Outro ponto alterado pelo relator foi a previsão para a formação de joint ventures (sociedades com objetivos específicos) entre governos (Estados, por exemplo) e petroleiras na disputa por áreas do pré-sal.

Kadafi morreu?

Muamar Kadafi estaria morto após ação de rebeldes em Sirte

Imagem divulgada pela AFP tirada provavelmente de um celular mostra a suposta captura de Kadafi ensanguentado





O ex-ditador da Líbia Muamar Kadafi teria sido assassinado durante a tentativa de sua captura por parte das forças rebeldes na cidade de Sirte. Informações preliminares do Conselho Nacional de Transição davam conta de que o ex-chefe teria sido ferido após ter sido capturado. O corpo dele estaria sendo levado para um local secreto.

De acordo com a agência de notícias EFE, fontes rebeldes líbias confirmaram a morte de Kadafi. O corpo dele estaria sendo transferido para um hospital em Misrata.

Fotos: Rebeldes tomam Sirte e comemoram queda de Kadafi

Segundo uma fonte do escritório de informação do Conselho Local de Misrata, Kadafi morreu nas mãos dos rebeldes durante a tomada de Sirte, sua cidade natal, que foi ocupada nesta quinta-feira pelos rebeldes após um ataque de dois meses.

Sirte era o último foco de resistência das tropas ainda leais ao ditador. As ruas de Trípoli foram ocupadas rapidamente pela população que comemorava a notícia. Muitos tiros são disparados para o ar. Espera-se que o presidente do Conselho Nacional de Transição (CNT) Mustafa Abdel Jalil conceda entrevista coletiva.

A OTAN, aliada dos rebeldes, não confirma a informação da morte ou da captura do ditador. Em outros momentos da luta contra Kadafi já foram divulgadas informações, como a captura dos filhos do ex-ditador, que depois foram desmentidas. Os Estados Unidos também não confirmam a morte de Kadafi.

Se confirmada, a queda do ditador significa a libertação total do país. Com a queda de Kadafi e Sirte, o CNT deve iniciar a tarefa de instaurar um sistema democrático no país - a promessa era de fazer isso quando todo o território nacional estivesse sob controle do novo governo.

Kadafi, foragido da Justiça internacional por acusações de ordenar a morte de civis, foi derrubado por forças rebeldes em 23 de agosto, após 42 anos no poder. Os protestos contra o comandante começaram em fevereiro, e foram violentamente combatidas pelo então líder do país.

A expectativa é de que o ex-ditador seja encaminhado ao Tribunal Penal de Haia para ser julgado por crimes de guerra.

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Governador do DF é alvo de inquérito no STJ por fraudes no Esporte

O governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT), é alvo de inquérito no STJ (Superior Tribunal de Justiça) por suposto envolvimento nas fraudes em programa do Ministério do Esporte quando ele era o titular da pasta, entre 2003 e 2006.

O inquérito chegou ao tribunal na terça-feira da semana passada e foi distribuído para o ministro Cesar Asfor Rocha. O caso foi enviado pela 12ª Vara da Justiça Federal em Brasília, com um volume e sete anexos, após a constatação de suposta participação de Agnelo no esquema.

O nome do governador apareceu em uma investigação iniciada no dia 9 de junho deste ano pela Polícia Federal para apurar fraudes no programa Segundo Tempo, do Ministério do Esporte. O programa, de atividades esportivas em áreas carentes, foi descoberto pela Operação Shaolin, da Polícia Civil do Distrito Federal.

Os envolvidos são suspeitos de praticarem os crimes de estelionato e falsificação de documento, entre outros. Entre os alvos está o policial militar João Dias Ferreira, diretor de duas ONGs que assinaram convênios com o Ministério do Esporte.

O policial acusa o atual ministro do Esporte, Orlando Silva, de receber verba desviada de convênios do ministério com ONGs. Silva é o sucessor de Agnelo.

OUTRO LADO

O advogado de Agnelo Queiroz, Luis Carlos Alcoforado, disse que não poderia comentar o caso do inquérito no STJ. "Fico desconfortável de comentar um caso que está sob segredo de Justiça e que não nos foi franqueado o acesso em sua amplitude."

Anteriormente, a assessoria do governo do Distrito Federal havia declarado que "o governador Agnelo Queiroz deixou o Ministério do Esporte há seis anos e não há qualquer ato na sua gestão à frente do ministério que tenha sido desaprovado pelos órgãos competentes", afirmou.

Leia mais na edição da Folha desta quarta-feira, que já está nas bancas.

Editoria de Arte/Folhapress






terça-feira, 18 de outubro de 2011

Fifa comemora e depois lamenta denúncias contra ministro

Fifa comemora e depois lamenta denúncias contra ministro

PUBLICIDADE


Hoje na FolhaA repercussão das denúncias que envolvem o ministro do Esporte, Orlando Silva Jr., gerou sentimentos antagônicos na Fifa. De cara, assim como o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, sorrisos se abriram por causa do desgaste que ele acumula com a entidade. Depois da alegria instantânea, veio a preocupação. A Fifa, impaciente e insatisfeita com o texto da Lei Geral da Copa, teme que a queda do ministro cause ainda mais atraso nas alterações do projeto.

  • Interlocutores da Fifa dizem que, por mais que Silva Jr. não viva uma lua de mel com a entidade, ele está a par do que foi pedido de alteração no texto. Uma substituição por alguém que não esteja envolvido com o assunto, portanto, seria ainda mais prejudicial.
Alan Marques - 17.out.2011/Folhapress
O ministro do Esporte, Orlando Silva, durante entrevista em Brasília
O ministro do Esporte, Orlando Silva, durante entrevista em Brasília

DENÚNCIAS

O ministro do Esporte, Orlando Silva, negou nesta segunda-feira envolvimento em irregularidades na pasta, que chefia desde 2006.

"Estou confiante para que a verdade seja reestabelecida, não é possível que um criminoso se converta numa fonte de verdade", disse ele. "Vou até as últimas consequências para defender minha honra", reiterou.

Silva é acusado de participação num esquema de desvio de recursos do programa Segundo Tempo, que dá verba a ONGs para incentivar jovens a praticar esportes. A acusação foi feita à revista "Veja" pelo policial militar João Dias Ferreira.

Segundo Ferreira, o ministro teria recebido dinheiro vivo na garagem da pasta, o que Silva nega. À revista um funcionário do policial, Célio Soares Pereira, afirmou ter entregue dinheiro ao próprio ministro na garagem do ministério, em Brasília, no final de 2008.


QUE SEMANA!!! DEPOIS DE METER O CACETE!!

sábado, 15 de outubro de 2011

Ministro do Esporte diz que acusação é ´farsa`

Ministro do Esporte diz que acusação é 'farsa' e aciona PF

PUBLICIDADE

MARIANA LAJOLO
ENVIADA A GUADALAJARA

O ministro do Esporte, Orlando Silva (PC do B), classificou as acusações de que comanda um esquema de desvios na pasta como uma "trama farsesca".

"Estou sereno, mas indignado diante de tamanha agressividade", disse em entrevista coletiva no início da tarde deste sábado (15), em Guadalajara, onde acompanha os Jogos Pan-americanos.

Dois integrantes de um suposto esquema de desvio de recursos do Ministério do Esporte acusam Silva de participação direta nas fraudes, segundo reportagem publicada pela revista "Veja".

Daniel Marenco/Folhapress
O ministro dos esportes disse hoje em Guadalajara, México, que denúncias são "farsa"
Ministro disse hoje, no México, que denúncias são "farsa"

O soldado da Polícia Militar do Distrito Federal João Dias Ferreira e seu funcionário Célio Soares Pereira disseram à revista que o ministro recebeu parte do dinheiro desviado pessoalmente na garagem do ministério.

Localizado ontem pela Folha, Pereira confirmou a acusação contra o ministro.

Orlando Silva afirmou que já acionou o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, para que a Polícia Federal investigue o esquema relatado.

O ministro disse ainda que as acusações podem ser uma reação ao pedido que fez para que o TCU investigue os convênios do ministério com a ONG que pertence ao policial autor das denúncias.

Em nota, o Ministério do Esporte disse que João Dias firmou dois convênios com a pasta, em 2005 e 2006, que não foram executados. O ministério pede a devolução de R$ 3,16 milhões dos convênios.

De acordo com o ministro, desde que o TCU foi acionado, integrantes de sua equipe vêm recebendo ameaças.

Silva também disse ter procurado a presidente Dilma Rousseff na manhã de ontem para dar explicações. Ele afirma ter ficado "muito feliz" com o resultado da conversa.

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Uma cidade que é uma ZORRA TOTAL

Mega-Sena acumula; próximo sorteio deve pagar R$ 46 mi


PUBLICIDADE

Ninguém acertou as seis dezenas do concurso 1.327 da Mega-Sena, sorteado nesta quinta-feira. O prêmio acumulou e deve chegar a R$ 46 milhões no próximo sorteio, no sábado, segundo estimativa da Caixa Econômica Federal.

Os números sorteados foram: 16 - 35 - 36 - 41 -52 - 54.

No total, 89 bilhetes acertaram a quina e vão receber R$ 38.492,13 cada um. A quadra vai pagar R$ 682,09 para cada uma das 7.175 apostas ganhadoras.

A Mega-Sena realiza sorteios duas vezes por semana, às quartas e aos sábados. As apostas devem ser feitas até as 19h (horário de Brasília) do dia do sorteio. A aposta mínima --seis números-- custa R$ 2.

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Ronaldinho encerra jejum e Brasil supera México de virada


PUBLICIDADE

Mesmo com a expulsão do lateral direito Daniel Alves, no fim da primeira etapa, o Brasil superou o México por 2 a 1, de virada, em Torreón (MÉX), em partida amistosa nesta terça.

Ronaldinho Gaúcho, de falta, marcou com a camiseta brasileira após quatro anos de jejum. O lateral esquerdo Marcelo fez o segundo tento brasileiro ao tabelar, invadir a área e bater forte no ângulo do goleiro mexicano Sánchez, jogador do time local --Santos de Laguna -- e homenageado da noite.

Com este resultado, o Brasil amplia sua vantagem sobre o México. Agora, são 20 vitórias, seis empates e seis derrotas em duelos contra o adversário desta terça.

O goleiro Jefferson ainda defendeu um pênalti no fim do primeiro tempo. A penalidade custou o segundo cartão amarelo para Daniel Alves e sua consequente expulsão.

O próximo compromisso brasileiro será um amistoso contra o Gabão, no dia 10 de novembro.

Eduardo Verdugo/Associated Press
"[Jogadores brasileiros comemoram o gol de Ronaldinho.Clique na imagem e veja mais fotos]":http://fotografia.folha.uol.com.br/galerias/4881-mexico-x-brasil

Lula deu aval à mudança de Meirelles para o PSD


IDADE

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi consultado e deu aval à mudança de Henrique Meirelles do PMDB para o PSD, o novo partido fundado pelo prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab.


Alan Marques - 15.fev.10/Folhapress
Meirelles cumprimenta o então presidente Lula
Em 2010, Meirelles cumprimenta o então presidente Lula

Os dois se encontraram reservadamente para discutir o assunto há cerca de três semanas, na sede do Instituto Lula, em São Paulo.

Presidente do Banco Central durante todo o governo Lula (2003-2010), Meirelles se filiou ao partido na sexta-feira passada, último dia para os políticos trocarem de legenda a tempo de disputar a eleição municipal de 2012.

Meirelles também transferiu o título eleitoral de Goiânia para São Paulo, passando a ser visto como possível candidato à Prefeitura com o apoio de Kassab e a simpatia do ex-presidente.

sábado, 8 de outubro de 2011

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Morre Steve Jobs, o gênio criador da Apple

Steve Jobs morreu nesta quarta-feira vítima de câncer de pâncreas nos EUA. Jobs criou a Apple e revolucionou a computação e seu aplicativos.

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Paulo Feijó por Patrick Strogulski


Na realidade é uma caricatura de Mr. Bean feita por Patrick Strogulski.

Governo quer limitar teto de funcionalismo