sexta-feira, 20 de maio de 2011

Juiz de NY ordena liberação sob fiança de ex-diretor do FMI

Um juiz ordenou nesta sexta-feira que o ex-diretor do FMI (Fundo Monetário Internacional) Dominique Strauss-Kahn --indiciado por crimes sexuais-- seja liberado da prisão de Rikers Island à meia-noite de hoje após pagamento de fiança e permaneça em prisão domiciliar, indicaram fontes judiciais.

Strauss-Kahn conseguiu liberdade condicional nesta quinta-feira, em troca do pagamento de US$ 1 milhão em dinheiro e uma caução de US$ 5 milhões. Além disso, ele será monitorado 24 horas com uma tornozeleira eletrônica e deverá entregar seu passaporte e todos os documentos de viagem, ficando sob prisão domiciliar em Manhattan.



O agora ex-diretor-gerente do FMI --que renunciou ao cargo na quarta-feira (18) -- foi acusado formalmente de tentativa de estupro e agressão sexual contra uma camareira de um hotel de NY. Em uma audiência realizada na segunda-feira (16) estiveram presentes sua mulher e sua filha, Camille, ambas muito emocionadas. Strauss-Kahn responderá por sete acusações apresentadas pela promotoria.

"São acusações extremamente graves", alertou o promotor Cyrus Vance ao final da audiência realizada no Tribunal Penal de Nova York.

Caso seja declarado culpado, Strauss-Kahn --cuja prisão abalou o Partido Socialista Francês, que pretendia lançá-lo como candidato nas eleições presidenciais de 2012-- pode ser condenado a até 74 anos de prisão.

Strauss-Kanh, de 62 anos, nega todas as acusações e será julgado em 6 de junho.

"É um grande alívio", disse ontem um de seus advogados, William Taylor, ao referir-se à sua liberdade. "A situação agora é muito melhor do que quando começamos", acrescentou.

Os investigadores dizem ter provas físicas --incluindo um exame médico efetuado imediatamente após a denúncia-- que comprovariam a tentativa de estupro.

ATAQUE EM HOTEL

De acordo com seu depoimento, a camareira teria entrado no quarto do hotel acreditando que ele estava vazio, mas Strauss-Kahn estava no banheiro tomando banho. Ao sair, ele "a cercou por trás e a tocou de maneira inconveniente" e "a obrigou a cometer um ato sexual", alegam.

Strauss-Kahn deixou o hotel rapidamente, mas acabou sendo detido a bordo de um avião quando tentava voltar à França.

A União Europeia (UE), decidida a manter um europeu a frente do FMI, defende a candidatura da francesa Christine Lagarde, ainda que a lista de postulantes ao cargo seja grande e desperte o interesse dos países emergentes.

A Europa é o principal financiador do FMI e a tradição mostra que o cargo de diretor-gerente sempre esteve reservado a europeus desde a sua criação em 1944, enquanto que aos Estados Unidos é reservado a liderança do Banco Mundial.

No entanto, países como Brasil, China e México declararam nesta semana que as regras do jogo devem ser mudadas, pedindo para que se leve em consideração os méritos e não a nacionalidade na hora de escolher quem irá substituir Strauss-Kahn.

O secretário de Fazenda do México, Ernesto Cordero, se pronunciou a favor de Agustín Carstens, diretor do Banco do México, para o cargo.

Ao mesmo tempo, o também mexicano Angel Gurría, secretário-geral da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), afirmou nesta sexta-feira em Paris que chegou a hora de um não europeu assumir a direção do FMI.

Igualzinho, igualzinho...

Empresa de Palocci faturou R$ 20 milhões em ano de eleição

A empresa de consultoria do ministro da Casa Civil, Antonio Palocci, faturou R$ 20 milhões no ano passado, quando ele era deputado federal e atuou como principal coordenador da campanha de Dilma Rousseff à Presidência da República, revela reportagem de Catia Seabra publicada na Folha desta sexta-feira (a íntegra está disponível para assinantes do jornal e do UOL).
Segundo duas pessoas que examinaram números da empresa e foram ouvidas pela Folha, o desempenho do ano passado representou um salto significativo para a consultoria, que faturou pouco mais de R$ 160 mil no ano de sua fundação, 2006.

Polícia Federal nega investigação sobre Palocci e empresa
Fazenda nega existência de relatório sobre empresa de Palocci
Empresa de Palocci diz que desconhece suspeita de Coaf em negócio

A Folha revelou no último domingo (15) que o ministro multiplicou por 20 seu patrimônio entre 2006 e 2010.

No período, ele adquiriu dois imóveis pela Projeto --um apartamento de luxo em São Paulo no valor de R$ 6,6 milhões e um escritório na mesma cidade por R$ 882 mil.

Em nota, a empresa diz que o crescimento de contratos em 2010 foi "natural".

Leia abaixo a íntegra da nota:

"A Projeto não confirma e não se pronunciará sobre os valores de seu faturamento. A empresa reitera que todos os seus contratos possuíam cláusula de confidencialidade que não lhe permite revelar os nomes dos seus clientes e os serviços prestados a eles.
O faturamento da empresa foi maior em 2010 por duas razões: o natural crescimento do volume de contratos ano a ano e as negociações decorrentes do fim de suas atividades de consultoria. Tais acordos com os clientes implicaram quitação antecipada pelos serviços prestados.
A Projeto afirma que prestou todas as informações e recolheu todos os tributos juntos aos órgãos fiscais competentes. Reitera ainda que sempre agiu dentro da mais estrita legalidade."
Folhasp

segunda-feira, 16 de maio de 2011

ADVOGADO ACUSA GOVERNO DO PT DE ESTAR ROUBANDO A MEGA SENA

VAMOS PARAR DE JOGAR NA MEGA SENA, ESTÁ HAVENDO MANIPULAÇÃO DOS NÚMEROS
E O PRÓPRIO GOVERNO É O PRINCIPAL TRAMBIQUEIRO....NINGUEM MERECE ESSE
GOVERNO LADRÃO DO PT.
Veja o que esse advogado escreve e prova abaixo:
MEGA SENA - Concursos 1225 e 1226
Tivemos os seguintes resultados nos jogos:
1225 - números sorteados = 31 / 32 / 34 / 40 / 50 / 55 ocorrido dia 23/10/2010
1226 - números sorteados = 10 / 31 / 40 / 50 / 55 / 56 ocorrido dia 27/10/2010
O que foi que aconteceu?????? nunca tivemos tantos números repetidos em jogos consecutivos!!!!
Trocaram as bolinhas, colocaram as bolinhas da semana anterior.
Até para roubar são incompetentes.
SE VOCÊ FAZ APOSTAS, ESTÁ SENDO ENGANADO!!!

A Polícia Federal desconfiou que estivesse havendo algum tipo de fraude na MEGA SENA e, mal começaram as investigações, pegaram várias pessoas envolvidas no esquema, entre elas, funcionários, auditores, e muito peixe
grande, ligadas diretamente ao governo.
Era muita gente envolvida no esquema. Eles fraudavam o peso da bolinha, fazendo sempre dar os números que eles quisessem e botavam 'laranjas' para jogar em diferentes Estados.
Você que achava estranho a Mega Sena acumular tantas vezes seguidamente, e quando saía o prêmio, apenas uma pessoa ganhava, geralmente em algum lugar bem distante.. Só podia ser algum tipo de fraude mesmo!!!
Descobriram membros da quadrilha com 4 Bilhões em contas nos paraísos fiscais; o que menos tinha, tinha 8 milhões..
Isso é sacanagem com o povo brasileiro, que trabalha demais; muitos deixam até de comer alguma coisa para fazer uma fezinha!O que muito me admira é que quase não houve divulgação!!!!!!
Na TV só passou uma vez no Jornal da Record, e outra na BAND...
Certamente foram censurados.... Está na cara que o governo não quer perder a bocada que fatura cada semana com os jogos, e nem quer mais CPIs...
Está notícia não pode ficar na gaveta, espalhem!!!
Vamos nos unir e dar fim a essa grande rede de corrupção que envolve o nosso país.
Colabore com a DIVULGAÇÃO e ajude a desmantelar essa corja de corruptos que levam 45% do seu salário em impostos e ainda têm coragem de levar mais...
Passe para todos da sua lista de contatos....
BRASIL todo precisa saber!!!
Dr. Wagner Di Genova Ramos
PAVESIO ADVOGADOS ASSOCIADOS
55 11 4746-2513 55 11 4746-2513 55 11 4746-2513 55 11 4746-2513 55 11
4746-2513 55 11 4... 55 11 4746-2513 55 11 4746-2513 (voice)
55 11 4743-3325 (fax)
*O único jeito de acabarmos com essa patifaria é ninguém jogar mais em nada. Aí , a CAIXA ECONÔMICA vai ter um enorme prejuízo e, talvez só assim fará alguma coisa.
E o que as autoridades vão fazer agora???
Esconder como fizeram quando essa notícia vazou???*
DIVULGUE... MAS DIVULGUE MESMO, PARA VER SE ACONTECE ALGUMA COISA!!!*

sábado, 14 de maio de 2011

Estou com vergonha, diz Ed Motta após fazer ofensas no Facebook

Após usar o seu perfil no Facebook para fazer ofensas a mulheres e músicos, o cantor Ed Motta pediu desculpas aos seus amigos e a quem se sentiu ofendido pelos comentários.
"Depois das loucuras, eu não tenho como consertar, só posso lamentar e ficar com uma vergonha gigante. Mas tudo bem, [eu] assumo meu erro", escreveu, após postar uma série de comentários ofensivos feitos nesta semana. Leia abaixo alguns deles.

"[Estou] em Curitiba, lugar civilizado, graças a Deus. O Sul do Brasil, como é bom, tem dignidade isso aqui. Frutas vermelhas, clima frio, gente bonita. Sim porque ooo povo feio o brasileiro, (risos). Em avião, dá vontade de chorar (risos). Mas chega no Sul ou SP, gente bonita compondo o ambiance (risos)", escreveu.

Em outro post, fez a equação: "Mulher feia tem que ser mega competente (risos). Se não, é Paula Toller nas cabeças (risos). Linda, burra e sem talento". E depois: "Mulher feia tem que cantar igual Sarah Vaughn, se não eu não tenho tempo hahaha!".

terça-feira, 10 de maio de 2011

STJ julga legal campanha de Collor à Presidência da República em 1989

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu hoje (10) que o senador Fernando Collor (PTB-AL) não cometeu crime de improbidade administrativa nas eleições de 1989, quando foi eleito presidente da República. O tribunal julgou recursos ajuizados pelo Ministério Público, que acusou Collor de se beneficiar de "caixa dois" (dinheiro não registrado na Justiça Eleitoral) e pediu que ele fosse punido com base na Lei de Improbidade, de 1992. Os ministros, no entanto, entenderam que a lei não deve retroagir para prejudicar o réu.
Segundo a defesa de Collor, além da impossibilidade de aplicar a lei retroativamente, o fato não se caracterizou como improbidade, uma vez que Collor não era presidente da República quando recebeu os restos de campanha. A defesa também alegou que os recursos do Ministério Público foram propostos pouco antes de o STF julgar se a renúncia de Collor levava à extinção do processo de impeachment.
“A imprensa deu uma série de noticias na tentativa de influenciar julgamento do STF, mas a inicial não indica nenhum ato praticado por Fernando Collor, a não ser o fato de ter recebido antes de assumir o posto [de presidente]”, disse a defesa.
Para o STJ, a questão da retroatividade foi decidida com base na Constituição, que diz que as lei não podem produzir efeitos para situações anteriores à sanção.
Correio Brasiliense.

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Nova campanha de desarmamento promete indenização ágil e anonimato

O Ministério da Justiça lança a nova Campanha Nacional de Desarmamento nesta sexta-feira, com a promessa de inutilizar as armas no ato da entrega, acelerar a indenização e assegurar anonimato aos voluntários.

O início da campanha foi antecipado em um mês em reação à tragédia de Realengo, onde um atirador matou 12 crianças nas salas de aula de uma escola municipal, há um mês. O atirador usou armas obtidas no mercado ilegal, e o crime reacendeu o debate sobre o desarmamento e o controle ao tráfico de armas no país.

Segundo o grupo Viva Rio, cerca de 35 parentes das vítimas são esperados no lançamento, às 10h, no Palácio da Cidade, para marcar sua adesão à campanha. A solenidade contará com a presença do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, e do governador e prefeito do Rio. A campanha envolve as instâncias federal, estadual e municipal.

"Nesta campanha, as principais novidades são que o cidadão não precisa dar nenhuma informação a seu respeito, e a arma receberá marretadas na sua frente", diz Shelley de Botton, coordenadora de comunicação do Viva Rio, uma das ONGs engajadas na campanha.

A legislação brasileira determina que apenas o Exército pode destruir armas, por isso o recurso ao "sistema da marretada" nos postos de recolhimento (polícias, delegacias, igrejas e sedes de ONGs), para inutilizá-las e dissipar dúvidas de que possam ser desviadas.

A indenização não será mais depositada na conta dos voluntários, como da última vez. "Elas receberão um voucher do Banco do Brasil e poderão retirar o dinheiro no terminal de saque de qualquer agência no país", diz Melina Rossi, diretora do Instituto Sou da Paz.

O novo procedimento é uma reação a problemas ocorridos na última campanha. A indenização varia de R$ 100 a R$ 300, de acordo com o modelo da arma, e não se estenderá à entrega de munição, como chegou a ser aventado.

MENOS ARMAS, MENOS CRIME

O objetivo da campanha é tirar armas de circulação e reduzir a taxa de homicídios no país. "Já temos vários estudos sérios mostrando que a redução do número de armas em circulação tem efeito positivo sobre a redução de homicídios", diz Risso.

A atual campanha é a terceira realizada pelo Ministério da Justiça. Nas duas anteriores (em 2003/2004 e 2008/2009) foram entregues, respectivamente, 460 mil e 40 mil armas. No período, de acordo com o Ministério da Saúde, o número de homicídios por armas de fogo caiu 11% no país.

O Viva Rio estima que haja cerca de 16 milhões de armas no país, das quais pouco menos da metade (7,6 milhões) pertenceriam às forças de segurança do governo, e quase metade estaria em situação ilegal.

"Acreditamos que quanto menos armas estiverem circulando nas ruas e nas mãos de civis, menos mortes teremos", afirma Botton, que começou a trabalhar no Viva Rio em 2003 e entregou, na primeira campanha, uma arma que seu marido havia recebido da família.

"A sensação foi a de estar me livrando de uma coisa que só faz o mal, porque a arma só tem uma função, que é matar", afirma. "Algumas pessoas acreditam que uma arma pode trazer mais segurança, mas procuramos mostrar que geralmente é o contrário."

"IMPACTO NULO"

Presidente da ONG Movimento Viva Brasil, Bene Barbosa diz que a campanha "foi organizada às pressas para dar uma resposta à sociedade após Realengo" e que sua antecipação foi "oportunista". Ele afirma que promover o desarmamento da população civil é uma maneira ineficiente de combater a criminalidade.

"Quem entrega as armas são aposentados, viúvas, gente que tem uma arma velha em casa e não sabe o que fazer com ela", afirma. "Não são as armas que circulam entre os criminosos, as que são vendidas ilegalmente. O impacto sobre a criminalidade vai ser nulo."

Barbosa diz que o governo não vai conseguir cumprir a garantia de anonimato a quem entregar as armas. Para transportá-las aos postos de recolhimento sem que se enquadrem no porte ilegal, as pessoas precisam preencher uma GT (Guia de Trânsito) na Polícia Federal, que pede seus dados pessoais.

Risso diz que, na campanha, as GTs dispensarão a identidade das pessoas. Porém, no site da Polícia Federal, os primeiros campos a serem preenchidos no formulário disponível de GT pedem para informar nome, RG e CPF do portador.

João Trajano Sento Sé, professor do departamento de Ciências Sociais da Uerj (Universidade do Estado do Rio de Janeiro), diz que países como Austrália e Inglaterra tiveram exemplos bem-sucedidos de redução de número de homicídios associado a campanhas de desarmamento.

No Brasil, entretanto, ele aponta que o referendo de 2005 --quando a população civil optou pelo direito de poder adquirir armas --ainda conspira contra a capacidade de mobilização.

"Acho que campanha não emplaca, porque a mobilização do plebiscito é muito recente", afirma. Por outro lado, ele cobra as políticas de estado na área de segurança prometidas em época de campanha pela presidente Dilma Rousseff, ainda não levadas adiante.
Folhasp

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Liberdade de imprensa já!

Jornal O Globo em 05 de maio de 2011, coluna Gente Boa do Joaquim Ferreira dos Santos

No Pará,servidor-fantasma foi "contratado" com 1 ano de idade

A Assembleia Legislativa do Pará incluiu em sua folha de pagamento o nome de um funcionário que tinha um ano de idade na data de sua contratação, em 1988, informa reportagem de Felipe Luchete na Folha desta quinta-feira (íntegra disponível para assinantes do jornal e do UOL).

Ricardo Rafael Monteiro da Silva, que hoje tem 24 anos, é um dos 11 funcionários-fantasmas identificados até agora pelo Ministério Público, que investiga suposto esquema de fraudes na Casa.

Folhasp

quarta-feira, 4 de maio de 2011

" Enfia a rosinha na outra rosinha"

Frase da Deputada Cidinha Campos PDT-RJ dita na ALERJ.

terça-feira, 3 de maio de 2011

Obama vai visitar NovaYork para marcar morte de Bin Laden

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, deverá visitar Nova York na quinta-feira (5/5) para marcar a morte do líder da rede extremista Al Qaeda, Osama Bin Laden, informou a Casa Branca.

Obama vai visitar o Marco Zero, local onde ficavam as torres gêmeas do World Trade Center, destruídas nos atentados de 11 de setembro de 2001, que mataram cerca de 3 mil pessoas e dos quais Bin Laden é acusado de ter sido o principal mentor. Segundo a Casa Branca, o presidente deverá se reunir com parentes das vítimas.

Desde o anúncio da morte de Bin Laden, na noite de domingo (1º), milhares de pessoas se reuniram no Marco Zero para festejar, empunhando bandeiras americanas e gritando slogans a favor dos Estados Unidos.

Nesta terça-feira (2/5), em um discurso no local do atentado, o prefeito da cidade, Michael Bloomberg, disse que “o espírito de Nova York nunca esteve tão fortalecido”. Em Washington uma multidão se aglomerou em frente à Casa Branca para celebrar a morte do líder terrorista.

Em um jantar esta noite, que reuniu líderes congressistas democratas e republicanos na Casa Branca, Obama disse que a morte de Bin Laden fez com que o país vivenciasse “o mesmo sentimento de união que prevaleceu após o 11 de Setembro”. “Nesta noite, é minha esperança ardente que nós possamos usar um pouco dessa união e um pouco desse orgulho para confrontar os muitos desafios que ainda enfrentamos”, afirmou.

Muito aplaudido pelos congressistas dos dois partidos ao mencionar a morte de Bin Laden, Obama agradeceu às forças especiais responsáveis pela missão no Paquistão. “Quero mais uma vez reconhecer os heróis que levaram adiante esta missão incrivelmente perigosa, assim como a todos os militares e profissionais de contraterrorismo que fizeram com que esta missão fosse possível”, disse Obama.

Bin Laden foi morto no domingo em uma operação das forças americanas na mansão onde estava escondido, na cidade de Abbottabad, ao norte de Islamabad, capital do Paquisão.

Segundo a Casa Branca, o presidente e a cúpula da área de segurança assistiram em tempo real, na Casa Branca, aos cerca de 40 minutos da operação que levou à morte o principal líder da Al Qaeda.

“Foi provavelmente um dos períodos mais cheios de ansiedade, eu acho, nas vidas das pessoas que estavam reunidas aqui ontem”, disse o principal assessor da Casa Branca para assuntos de segurança nacional e contraterrorismo, John Brennan.

Também hoje, em uma rara declaração a respeito de operações militares unilaterais de um de seus membros, o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) saudou a morte de Bin Laden. “O Conselho de Segurança reconhece este avanço crucial e outras realizações na luta contra o terrorismo e insta todos os Estados a permanecerem vigilantes e intensificar seus esforços na luta contra o terrorismo”, diz a declaração.

Na verdade Bin Laden se matou. Como era vascaíno não suportou mais der vice de novo para o Flamengo

Os americanos quando chegaram no cafo-
fo de Osama, o encontraram com uma 12 na cabeça

pq não aguentou ver tanto penalty perdido pela equipe da colina. Cansado de ser quase todo o ano vice do Flamengo, pediu pra sair e foi bater uma bola com o "coisa ruim" lá nas profundezas do magma.

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Sem freio, invicto e campeão estadual

O Flamengo superou o Vasco, venceu os dois turnos e leva a taça do caneco carioca

O Vasco de novo foi vice!!

Foto de Osama Bin Laden morto

Segundo fontes americanas, Bin Laden foi morto no Paquistão em uma mansão com vários seguranças. A Turquia declarou que a morte do terrorista foi bem vista e uma retumbante vitória da democracia. Bin Laden tinha 54 anos e vinha sendo perseguido pela CIA desde o tempo de Bill Clinton. Barack Obama, em campanha para um segundo mandato, deve capitalizar o evento.

Ação que matou Bin Laden foi feita pelos EUA, diz Paquistão

As autoridades do Paquistão anunciaram nesta segunda-feira que as forças norte-americanas executaram diretamente a operação que matou no território do país o líder terrorista Osama bin Laden, "em acordo com a política dos Estados Unidos" de luta contra o terrorismo.

Em pronunciamento feito na TV na noite deste domingo (1º), o presidente norte-americano, Barack Obama, confirmou a morte do líder da rede Al Qaeda e disse que o corpo havia sido levado sob custódia dos Estados Unidos --a imprensa americana menciona que o sepultamento já foi feito no mar, mas a informação não foi confirmada.

Em um comunicado, o Ministério paquistanês das Relações Exteriores reconhece que a morte do homem mais procurado do mundo --tido como mentor dos ataques do 11 de setembro de 2001 -- representa um "grande revés infligido às organizações terroristas do mundo" e "ilustra a determinação da comunidade internacional, e do Paquistão, de combater e eliminar o terrorismo".

Ao mesmo tempo, uma fonte do governo americano informou que as autoridades paquistanesas haviam sido advertidas antes do início da operação. Um comando transportado por helicópteros das forças especiais americanas matou Bin Laden em uma casa muito protegida em Abbottabad, cidade 50 km ao noroeste de Islamabad. A ação teria durado cerca de 40 minutos, começando 22h30 do horário local.
O primeiro-ministro paquistanês, Yusuf Raza Gilani, qualificou de "grande triunfo" contra o "terrorismo" a operação militar dos Estados Unidos. "Somos contrários ao terrorismo, não deixaremos ninguém utilizar nosso território para atos terroristas contra qualquer outro país e, em consequência, considero que se trata de uma grande vitória." "Não conheço os detalhes da operação, mas é um êxito e apresento minhas felicitações por este êxito", completou o primeiro-ministro.

O trabalho conjunto com o Paquistão foi mencionado no discurso de Obama (leia íntegra aqui). Segundo ele, a operação só foi bem sucedida devido a ajuda do governo paquistanês, que facilitou que as equipes americanas encontrassem o esconderijo do terrorista. "Esse é um dia histórico para as duas nações", disse Obama.

"Nesta noite tenho condições de dizer aos americanos e ao mundo que os Estados Unidos conduziram uma operação que matou Osama bin Laden, o líder da Al Qaeda e terrorista responsável pelo assassinato de milhares de homens, mulheres e crianças inocentes." "A justiça foi feita", afirmou o presidente dos EUA.

Foi neste domingo, segundo o presidente, que deu a ordem para uma equipe de soldados dos EUA capturar Bin Laden. Obama afirmou que nenhum americano foi ferido. Funcionários do governo dos EUA detalharam que outros três homens e uma mulher teriam morrido no ataque.

"Finalmente, na última semana, eu determinei que nós tínhamos informações suficientes para agir (...) Depois de troca de tiros, eles mataram Osama bin Laden e tomaram seu corpo sob custódia", afirmou Obama.

"Nós não vamos tolerar ameaças a nossa segurança nacional ou aos nossos aliados. Não há dúvidas que a Al Qaeda continuará a atacar", disse ainda durante o pronunciamento, ressaltando o que disse George W. Bush quando presidente: que a "Guerra ao Terror não é contra o Islã". "A Al Qaeda é um destruidor em massa de muçulmanos", afirmou.


Enquanto ele falava, centenas de pessoas estavam concentradas em frente à Casa Branca, em Washington, para comemorar com gritos de alegria e mensagens patrióticas a morte. Seguravam bandeiras, cantavam o hino nacional e bradavam "USA". Na Times Square, em Nova York, outra multidão tomou as ruas (veja as fotos).

PERFIL

O obscuro ex-colaborador da CIA tornou-se sinônimo de terrorismo na década. Engenheiro civil, é um dos cerca de 50 filhos do construtor saudita Mohammed bin Laden.

Osama bin Laden iniciou sua carreira no Afeganistão nos anos 70, ajudando os EUA a expulsar tropas soviéticas. Criou a Al Qaeda (a base, em árabe) em 1998 e no mesmo ano mostrou seu cartão de visitas explodindo embaixadas americanas no Quênia e Tanzânia.

Em 2001 veio sua ação mais espetacular, contra as Torres Gêmeas e o Pentágono. Virou alvo número um dos Estados Unidos, procurado vivo ou morto. Esteve por trás, ou serviu de inspiração, para ataques em países tão diversos como Espanha, Indonésia, Marrocos e Turquia.

Suas mensagens mobilizam radicais pelo mundo todo. Sua ação mudou a forma como se faz guerra, como se protegem liberdades e como se inspecionam bagagens.

Além do 11 de Setembro, Washington também relacionou Bin Laden a uma série de ataques, incluindo os atentados às embaixadas norte-americanas no Quênia e na Tanzânia, em 1998, e o ataque ao navio de guerra USS Cole no Iêmen, em 2000.
Folhasp