segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Kadafi diz que Líbia está "calma" e ignora Conselho de Segurança da ONU

O líder líbio, Muammar Kadafi, afirmou neste domingo (27/2) que a Líbia está "completamente calma", e que as decisões do Conselho de Segurança da ONU sobre o país "não têm valor", em entrevista por telefone ao canal sérvio Pink TV.
"Não há incidentes neste momento e a Líbia está completamente calma. Não há nada fora do comum no país. Não ocorrem distúrbios", declarou o coronel Kadafi.
Na mesma entrevista, Kadafi afirmou que a decisão do Conselho de Segurança das Nações Unidas, impondo sanções à Líbia, "não tem valor".
O Conselho de Segurança aprovou na noite de sábado (26/2) um embargo de armas à Líbia, a proibição de viagens e o congelamento de bens de Kadafi, além da abertura de uma investigação por crimes contra a humanidade devido à sangrenta repressão praticada pelo regime líbio.
Na mesma entrevista, Kadafi responsabilizou a rede Al-Qaeda pelos "bandos de terroristas" que fazem vítimas no território líbio.
"As pessoas morreram por causa de bandos terroristas que, sem dúvida, estão ligados à Al-Qaeda".
Kadafi declarou ainda que a revolta é obra de "um pequeno grupo" de opositores, que atualmente está "cercado", mas "solucionaremos isto". "O povo líbio está comigo".

Marcha

Segundo fontes revolucionárias, várias cidades do oeste da Líbia estão "nas mãos do povo e preparam a marcha para libertar Trípoli".

O advogado Chaban Abu Sitta, membro do comitê revolucionário, declarou à AFP que já foram "libertadas" as cidades de Nalout, Al Rhibat, Kabaw, Jado, Rogban, Zentan, Yefren, Kekla, Gherien e Hawamed.

"Estamos sob a autoridade do governo interino de Bengazi. Com todas as cidades libertadas da montanha do Yebel Nafusa e as que se encontram do outro lado da montanha, nos preparamos para marchar sobre Trípoli e libertar a capital do jugo de Kadafi".

Nenhum comentário:

Postar um comentário