quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Governo nega que corte no Orçamento afete PAC

A ministra do Planejamento, Miriam Belchior, afirmou nesta quarta-feira (9) que o corte de R$ 50 bilhões no Orçamento de 2011 irá poupar o PAC (Programa de Aceleração do Crescimento).

"Não vai haver corte nem adiamento de obras do PAC", afirmou a ministra, em entrevista para divulgação do volume de despesas que será reduzido.

Anúncio do corte no Orçamento foi feito pelos ministros Guido Mantega (Fazenda) e Miriam Belchior (Planejamento)
Anúncio do corte no Orçamento foi feito pelos ministros Guido Mantega (Fazenda) e Miriam Belchior (Planejamento)

Segundo Miriam, também serão preservados os gastos sociais. "Os cortes vão ser maiores nos gastos de custeio. As viagens e diárias, por exemplo, terão uma redução de 50%, e os processos para autorização desses gastos serão limitados", explicou a ministra.

O governo ainda não revelou quanto será cortado de cada ministério nem de emendas parlamentares. Para as próximas semanas deve ser definida a distribuição dos cortes por cada uma das pastas.

Em janeiro, durante sua primeira reunião ministerial, a presidente Dilma Rousseff sinalizou que o PAC poderia estar sujeito a cortes.

Chamada por Lula de "mãe" do programa, a presidente autorizou que só obras em andamento continuem, sem iniciar novas.

O discurso atual de Dilma é insistir que o PAC e a área social sejam poupados

Nenhum comentário:

Postar um comentário