segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Francisco de Goya ( desenho ainda inacabado)

Pintor e gravador espanhol ( Fuendetodos, 1746-Buerdeos,1828). " O segredo foi a obediência ao próprio destino, manifestado em doenças e frustrações, em sonhos e azares, em perseguições e gozos, em vocação tenazmente seguida. Depois de Goya toda a arte se abriu. No caminho de Goya tudo é possível, inclusive a criação, a ternura e a alegria".

Convocação atendida! Vamos pintar o BURACO DA ROSINHA

Tô dentro! Dia 18 de março os orifícios das ruas vão ficar "rosinhas" como hemorróida.

Kadafi diz que Líbia está "calma" e ignora Conselho de Segurança da ONU

O líder líbio, Muammar Kadafi, afirmou neste domingo (27/2) que a Líbia está "completamente calma", e que as decisões do Conselho de Segurança da ONU sobre o país "não têm valor", em entrevista por telefone ao canal sérvio Pink TV.
"Não há incidentes neste momento e a Líbia está completamente calma. Não há nada fora do comum no país. Não ocorrem distúrbios", declarou o coronel Kadafi.
Na mesma entrevista, Kadafi afirmou que a decisão do Conselho de Segurança das Nações Unidas, impondo sanções à Líbia, "não tem valor".
O Conselho de Segurança aprovou na noite de sábado (26/2) um embargo de armas à Líbia, a proibição de viagens e o congelamento de bens de Kadafi, além da abertura de uma investigação por crimes contra a humanidade devido à sangrenta repressão praticada pelo regime líbio.
Na mesma entrevista, Kadafi responsabilizou a rede Al-Qaeda pelos "bandos de terroristas" que fazem vítimas no território líbio.
"As pessoas morreram por causa de bandos terroristas que, sem dúvida, estão ligados à Al-Qaeda".
Kadafi declarou ainda que a revolta é obra de "um pequeno grupo" de opositores, que atualmente está "cercado", mas "solucionaremos isto". "O povo líbio está comigo".

Marcha

Segundo fontes revolucionárias, várias cidades do oeste da Líbia estão "nas mãos do povo e preparam a marcha para libertar Trípoli".

O advogado Chaban Abu Sitta, membro do comitê revolucionário, declarou à AFP que já foram "libertadas" as cidades de Nalout, Al Rhibat, Kabaw, Jado, Rogban, Zentan, Yefren, Kekla, Gherien e Hawamed.

"Estamos sob a autoridade do governo interino de Bengazi. Com todas as cidades libertadas da montanha do Yebel Nafusa e as que se encontram do outro lado da montanha, nos preparamos para marchar sobre Trípoli e libertar a capital do jugo de Kadafi".

Historinha de Orlandeli pra começar a semana

Neo-arrudismo

Há ainda muito trabalho pela frente, mas já dá para notar o esforço dos marqueteiros de Itamar Franco para transformá-lo numa espécie de Plínio de Arruda Sampaio do Senado.
Repara só!

Ronaldinho Gaúcho feliz da vida com a conquista da taça Guanabara

Parece ou não com Ruth de Souza?

Dilma enquadra ministro, e ele luta para ficar

Após a última bronca que tomou no Planalto, advertido por Antonio Palocci (Casa Civil) que deveria cessar a hostilidade contra Henrique Meirelles, o ministro Orlando Silva (Esporte) desistiu da Autoridade Pública Olímpica. Caiu a ficha: é melhor tentar preservar o cargo de ministro, com seus encantos e mordomias, do que continuar irritando a presidente Dilma. Ela ainda o considera “atravessado na garganta”.
O PCdoB, de Orlando Silva, ajuda o ministro a tentar ficar no emprego: jurou que não se rebelará contra a MP da Autoridade Pública Olímpica

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Agradecimento

Quero agradecer as manifestações de carinho e solidariedade pelo passamento de minha companheira Luciana, em especial a Joca Muylaert, Rafael sardinha, Jane Nunes, Sociedade Blog, Fernando Leite.
Obrigado a todos e perdão se esqueci de mencionar outros tantos amigos. Atenciosamente, Walter da Silva Júnior e Gabriela P. A. Silva (filha)

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Pensamento do dia

Horário de verão termina à meia-noite

Segundo resultados preliminares divulgados pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), a economia de energia no horário de verão, durante as horas em que há pico de consumo, de 18h às 23h, ficou abaixo da expectativa. A redução total foi de 4,4% (ou 2.376 Megawatts), sendo que o projetado inicialmente pelos técnicos era uma economia de 4,6% da demanda máxima dos subsistemas da Região Sul e do Centro-Oeste e Sudeste, cujos estados adotam a medida. O resultado também foi pior do que o índice do verão de 2009/2010, quando a redução foi de 4,7%. O horário de verão, iniciado no dia 17 de outubro do ano passado, termina meia-noite deste sábado, quando os relógios devem ser atrasados em uma hora.

PT trabalha para evitar aproximação entre sindicatos e oposição

O PT trabalha para matar no nascedouro a aproximação entre centrais sindicais e oposição, ensaiada quando da votação, na Câmara, do derrotado salário mínimo de R$ 560, informa o "Painel" da Folha, editado por Renata Lo Prete (íntegra disponível para assinantes do jornal e do UOL).

Os petistas lembram aos sindicalistas que, se vingar a ideia das oposições de derrubar a fixação do mínimo por decreto, nada garante que a política para o reajuste, segundo a qual o valor será elevado, em 2012, para algo em torno de R$ 613, permaneça em pé.

O primeiro sinal da aproximação entre centrais e oposição foi a defesa do senador Aécio Neves (PSDB-MG) por um alinhamento pelo mínimo, uma semana antes da votação na Câmara.

Apesar disso, na quarta-feira, o governo conseguiu derrubar a proposta de R$ 560 por 361 votos contra, 120 favoráveis e onze abstenções.

Durante a sessão, manifestantes ligados às centrais sindicais protestaram. Até o ex-presidente da CUT (Central Única dos Trabalhadores), o deputado Vicentinho (PT-SP), relator do projeto governista, foi vaiado.

Agora, o projeto do mínimo de R$ 545 deve passar pelo Senado. A expectativa é que a votação acontece até quarta-feira
Folhasp.

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Governo retribui apoio do PMDB com cargos na Caixa

Depois de exibir força ao votar unido pelo salário mínimo de R$ 545, o PMDB espera ser recompensado pela presidente Dilma Rousseff na distribuição de cargos na máquina federal.
O governo entendeu o recado e promete começar a pagar antes da votação do projeto no Senado. O espaço do PMDB no governo não precisa ser forçado, diz Marco Maia.
A cúpula peemedebista decidiu trabalhar para ter o apoio integral da sua bancada de 77 deputados para ficar credora e cobrar compromissos do Palácio do Planalto.
A tática funcionou e nomeações solicitadas pelo partido na Caixa Econômica Federal devem ser efetivadas nos próximos dias, antes da votação do projeto do salário mínimo no Senado, prevista para a próxima quarta-feira.
O PMDB sugeriu os nomes do ex-ministro da Integração Nacional Geddel Vieira Lima e do ex-governador da Paraíba José Maranhão para as vice-presidências de Crédito da Pessoa Física e de Fundos e Loterias da Caixa.
O PMDB já possui seis ministérios no governo Dilma, mesmo número que tinha no fim do governo Lula. O partido ocupa Agricultura, Minas e Energia, Defesa, Previdência Social, Turismo e Assuntos Estratégicos.
A grande briga agora é por cargos no segundo escalão. Além da Caixa, o PMDB quer diretorias do Banco do Brasil, de empresas estatais do setor elétrico e da Funasa (Fundação Nacional de Saúde).

Ironia

Analistas disseram à revista Economist, que sem poder cortar programas sociais e infraestrutura, Dilma terá que apelar à privatização em portos e aeroportos – alvo de duras críticas a Serra, na campanha.

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

E NO CANTEIRO DE OBRAS DA FRENTE...


Magal au,au,au,au,au...


KKKKKKKKKKKKKKK...O mensaleiro João Paulo Cunha é o novo presidente da CCJ

Dá-lhe Brasil!!!!!

KKKKKKKKKKKKK..TIRIRICA ERROU O VOTO

Em sua primeira votação como deputado federal, Tiririca (PR-SP) errou a forma como queria votar e apoiou a emenda do PSDB que elevaria o mínimo para R$ 600,00.
Durante o dia, ele anunciou que votaria com o governo pelo mínimo de R$ 545,00. Na hora de votar, porém, ele estava posicionado junto à bancada do PSDB e acabou votando "sim" à emenda dos tucanos.
O líder do PSDB, Duarte Nogueira (SP), chegou até a agradecer o voto do colega artista. "Fui lá agradecer, afinal é o apoio do deputado mais votado do Brasil". A assessoria de Tiririca nega que o deputado tenha se rebelado e afirmou haver apenas um engano do parlamentar na hora de apertar o botão no sistema eletrônico.
Tiririca foi o deputado federal mais votado nas eleições de 2010 recebendo mais de 1,3 milhões de votos. Antes de assumir, ele teve que provar à justiça eleitoral que não era analfabeto, sendo submetido a um teste de leitura e escrita.
Outros deputados "celebridades" não cometeram o mesmo erro de Tiririca. O ex-jogador de futebol Romário (PSB-RJ) e o ex-boxeador Popó (PRB-BA) seguiram a orientação de seus partidos e votaram contra o mínimo maior
PIOR DO QUE ESTÁ, FICA!!!

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Segredo?


Eles não perdoam...


Steve Hanks é fantástico!!


Cauh Gomes


Mahatma Gandhi de Pasquale Giacobelli

Muito boa a ilustração de Giacobelli.

Defesa de Assange contrata ex-advogado do jogador O.J.Simpson

A equipe de defesa do fundador do WikiLeaks, Julian Assange, contratou o famoso advogado nova-iorquino Alan Dershowitz para que defenda seu cliente na Justiça americana.

Segundo o jornal "The Independent", o advogado britânico Geoffrey Robertson, que tenta impedir a extradição de Assange a Suécia --que o reivindica por supostos delitos sexuais contra duas mulheres-- revelou que contratou os serviços de Dershowitz.

O americano defendeu com sucesso dois famosos acusados de assassinato de suas respectivas esposas: o ex-jogador de futebol americano O.J. Simpson e o aristocrata britânico de origem germânica-dinamarquesa Claus von Bülow.

No entanto, sua carreira não foi marcada apenas por triunfos: Dershowitz não conseguiu a revogação em 1992 da condenação por violação do boxeador Mike Tyson nem de Patricia Hearst, a herdeira americana do império jornalístico, por terrorismo em 1978.

O governo americano tenta reunir provas para acusar o WikiLeaks de conspiração por ter supostamente instigado certas pessoas, como o soldado Bradley Manning, atualmente preso, a fornecer ao site documentos secretos que foram depois publicados pela imprensa de diversos países.

Um tribunal federal do Estado da Virgínia, nos Estados Unidos, tenta de obter os detalhes pessoais de qualquer pessoa que tenha utilizado a rede social Twitter para comunicar-se com Assange.
Folhasp.

Votação do mínimo será teste de fidelidade

O projeto que estabelece o salário mínimo em R$ 545 mensais será usado pela presidente Dilma Rousseff para verificar, afinal, o tamanho do apoio parlamentar ao seu governo. Ela proibiu os articuladores políticos, sob a coordenação do ministro Antonio Palocci (Casa Civil), de ceder a pressões por cargos ou para liberar emendas.

Twitter do STF

Não foi em atitude de respeito a José sarney que o STF demitiu funcionária que usou Twitter do tribunal para comparar o senador a Ronaldo Fenômeno, sugerindo aposentadoria do político. O jogador, no caso, é que teria motivos para se sentir ofendido.

Não existem heróis no Rio

Tá tudo no esquema: quando, enfim, o secretário José Mariano Beltrame, descobrir que o capitão Nascimento não passa de um corrupto que a todos enganou fazendo papel de mocinho em ‘Tropa de Elite’, a operação ‘Guilhotina’ deflagrada para cortar pela raiz o mal da Segurança Pública carioca dará lugar às Unidades Pacificadoras da Polícia. O clima entre algumas delegacias é, no momento, de guerra de quadrilha!

Não à toa, a bandidagem está em extinção no balneário. Quase todos os espaços tradicionalmente ocupados pelos foras da lei no noticiário foram tomados pela polícia. O velho quebra-pau entre o CV (Comando Vermelho) e o ADA (Amigos dos Amigos), facções rivais do tráfico no Rio, perdeu território para o mata-mata entre o pessoal da Draco (Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas) e do Core (Coordenação de Recursos Especiais). O bicho pegou!

Ontem caiu o chefe de Polícia e, comentava-se no Bope, àquela altura o capitão Nascimento já teria saído às pressas do Festival de Cinema de Berlim a caminho do exílio em algum lugar do norte da África. “Não dá mais pra ser mocinho no Rio de Janeiro”, comentou emocionado ao se despedir do cineasta José Padilha.

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Midas de peruca

A AUX Canadá Aquisition, de Eike Batista, comprou por US$1,5 bilhão a mineradora canadense Ventana Gold, que explora ouro na Colômbia.

Correios têm disputa por serviço bancário

Numa concorrência de ao menos R$ 1,75 bilhão, os Correios vão abrir licitação para operar o Banco Postal, serviço que atende a população de baixa renda em cidades sem filiais bancárias. Há dez anos, o Bradesco atua como correspondente bancário exclusivo em postos da estatal pelo país. Nesse período, abriu mais de 10 milhões de contas.
No ano passado, o faturamento anual só com tarifas de manutenção desses correntistas foi de R$ 845 milhões --os Correios ficaram com R$ 350 milhões.
O novo contrato terá duração de cinco anos, renovável por mais cinco. A licitação deve ser concluída até julho.
Além do Bradesco, apenas o Banco do Brasil, o Itaú, o Santander e o Banrisul atendem aos requisitos da concorrência.

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Coincidência?

A mesma empresa que faz o itinerário Campos-Farol é a mesma que faz cortesias de passagens no programa de rádio de um ex-governador e hoje deputado federal. Para quem entendeu, a farra continua!!!

Big Brother Egito

Kibeloco.com.br

Polícia descobre causa...


kibeloco.com.br

Ronaldo aposenta do futebol e vai tomar caçhaça no Xexé

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

" Acho que o mínimo de R$ 600 é factível"

Ex-governador paulista José Serra (PSDB) se unindo ao discurso dos “oportunistas

Fluminense decepciona e empata na estreia na Libertadores

O Tricolor chegou a estar perdendo duas vezes na partida contra o Argentinos Juniores, mas Rafael Moura salvou prejuízo maior.
Apesar da animação do retorno para a Copa Libertadores, o Fluminense não conseguiu dar um presente para sua torcida. A equipe tricolor não conseguiu mais do que um empate por 2 a 2 contra o Argentinos Juniors, nesta quarta-feira, no Engenhão, pelo Grupo 3 da competição sul-americana. O clube argentino chegou a estar duas vezes na frente do placar com gols do baixinho Niell. No entanto, Rafael Moura voltou a mostrar seu oportunismo e também balançou a rede duas vezes para o time comandado pelo técnico Muricy Ramalho.

Governo nega que corte no Orçamento afete PAC

A ministra do Planejamento, Miriam Belchior, afirmou nesta quarta-feira (9) que o corte de R$ 50 bilhões no Orçamento de 2011 irá poupar o PAC (Programa de Aceleração do Crescimento).

"Não vai haver corte nem adiamento de obras do PAC", afirmou a ministra, em entrevista para divulgação do volume de despesas que será reduzido.

Anúncio do corte no Orçamento foi feito pelos ministros Guido Mantega (Fazenda) e Miriam Belchior (Planejamento)
Anúncio do corte no Orçamento foi feito pelos ministros Guido Mantega (Fazenda) e Miriam Belchior (Planejamento)

Segundo Miriam, também serão preservados os gastos sociais. "Os cortes vão ser maiores nos gastos de custeio. As viagens e diárias, por exemplo, terão uma redução de 50%, e os processos para autorização desses gastos serão limitados", explicou a ministra.

O governo ainda não revelou quanto será cortado de cada ministério nem de emendas parlamentares. Para as próximas semanas deve ser definida a distribuição dos cortes por cada uma das pastas.

Em janeiro, durante sua primeira reunião ministerial, a presidente Dilma Rousseff sinalizou que o PAC poderia estar sujeito a cortes.

Chamada por Lula de "mãe" do programa, a presidente autorizou que só obras em andamento continuem, sem iniciar novas.

O discurso atual de Dilma é insistir que o PAC e a área social sejam poupados

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Charge

"Censura? Não, desculpe. A censura é proibida pela Constituição"

José Eduardo Cardozo(Justiça) sobre o projeto que veda censura a biografias

Regulação da mídia é uma "prioridade', diz líder do PT

Líder do PT na Câmara, deputado federal Paulo Teixeira (SP), afirmou que o marco regulatório para a mídia é uma prioridade do partido.
O tema não consta da lista de prioridades da presidente Dilma Rousseff para 2011, na mensagem entregue ao Congresso na semana passada.
No artigo "O Congresso e os desafios para 2011", no site do PT, Teixeira diz que o projeto --ainda não enviado à Câmara-- tem de ser aprovado apesar da "chiadeira".
"A regulamentação do capítulo da Constituição Federal referente à comunicação é tarefa estratégica. Há uma chiadeira dos proprietários dos conglomerados de comunicação, mas a matéria não pode ser mais adiada."
Para ele, a definição de um marco regulatório "que garanta mais liberdade de expressão, democratize e impeça a monopolização do setor" é um dos pontos centrais da "agenda do Congresso".
O artigo do líder do PT foi publicado na sexta, dois dias depois de Dilma levar pessoalmente a mensagem do Executivo ao presidente do Senado, José Sarney. Não há referência ao projeto no discurso de Dilma nem na mensagem entregue ao senador.
Durante o governo Lula, um grupo de trabalho coordenado pelo ex-ministro Franklin Martins (Comunicação Social) fez um esboço de uma Lei Geral de Comunicação Social e a deixou como sugestão ao novo governo.
O esboço prevê a criação de uma Agência Nacional de Comunicação com o papel de regular o conteúdo de rádio e TV. O governo diz que isso não representa censura.
Na primeira semana do governo Dilma, o ministro Paulo Bernardo (Comunicações) adotou discurso mais cauteloso e disse que, antes de ser enviado, o projeto deverá passar por consulta pública.

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

PDT vai apresentar duas emendas para aumentar o valor do mínimo

Chegada de novos congressistas reforça embate sobre salário mínimo. Com o novo Congresso empossado, o primeiro desafio da presidente Dilma Rousseff será a aprovação do novo salário mínimo com o valor definido pelo governo que, até agora, chegou a um valor de R$ 545 por mês.
Logo após a sessão de posse, o deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), o Paulinho da Força Sindical, afirmou que o mínimo terá de ficar, pelo menos, acima de R$ 550.

O deputado e dirigente sindical antecipou que o PDT já elaborou duas emendas a serem apresentadas à medida provisória que deverá ser enviada pela presidente ao Congresso nos próximos dias.

A primeira emenda, que será apresentada por Paulinho, fixa o mínimo em R$ 580 mensal e estabelece o aumento de 10% para as aposentadorias pagas pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). A segunda emenda terá a assinatura do deputado Ademir Camilo (PDT-MG) e fixará o valor do salário em R$ 560 e o índice de 7,8% de reajuste para as aposentadorias.

"Se não tivermos alguma coisa concreta para o salário mínimo, para as aposentadorias e para a correção da tabela do Imposto de Renda, vamos passar os quatro anos sem nada. Mesmo que ela Dilma Rousseff diga que vai dar aumento no futuro, nós já teremos perdido a primeira batalha", afirmou Paulinho.

"Em uma situação extrema, é melhor sair derrotado na votação do que abandonar a luta. A nossa plateia quer que continuemos no jogo", continuou.

Amanhã haverá nova rodada de negociação entre os representantes das centrais sindicais e o ministro Gilberto Carvalho (Secretaria-Geral da Presidência). Na pauta, já anunciaram as centrais, estão o aumento do salário mínimo, o reajuste para os aposentados e a correção da tabela do Imposto de Renda (IR).

Paulinho afirmou que, se não houver um acordo razoável nos três itens na reunião com o governo, vai até o final na disputa no Congresso."Estamos empenhados em manter o diálogo com o governo federal, porém manteremos a pressão para alcançarmos os nossos pleitos. Vamos insistir em conquistar um salário mínimo digno para os trabalhadores brasileiros", declarou Paulinho.

Quanto ao Imposto de Renda da Pessoa Física, as centrais querem uma correção na tabela de 5% por ano no período de cinco anos seguidos. Nos bastidores do meio sindical, considera-se que as centrais aceitariam um acordo com o governo que fixasse o mínimo em R$ 560 e o reajuste das aposentadorias em 7,8%. (Fonte: Estadão)

" Fernando Collor foi gentil comigo, apertou minha mão"

LINDBERGH FARIAS, senador do PT pelo Rio, que entrou na política depois de liderar os caras-pintadas que pediram o impeachment de collor.
Viraram farinha do mesmo saco partidário.

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Esboço de Ronaldinho Gaúcho

Não jogou nada ontem!! Walter jr.

Milos Formam, cineasta naturalizado americano

Oscar-Um estranho no ninho(1976), Amadeus(1985). Ganhador do Urso de Ouro por " O povo contra Larry Flint"(1996) e melhor direção em
" O mundo de Andy"(1999) e "Sombras de Goya" (2006). Caricatura de Milos Forman.
Walter Jr.

No traço, Zuenir Ventura, jornalista e escritor

Tinta ecoline, nanquim sobre papel A4. Walter Jr

Liu Xaobo, prêmio nobel de 2010

Direto do meu caderno de antações e estudos gráficos. É uma espécie de Codex hammer. Walter Jr.

É impossível não me lembrar de Django Reinhart

Ícone do jazz europeu, nascido belga mas francês de criação, Django, apesar de ter contruído sua carreira através da guitarra, começou tocando violino e banjo. Diante de tantas adversidades ao longo da sua vida ( sofreu sérias queimaduras nas mãos), criou uma música complexa e interessante, que transita pelos ouvidos com leveza e sutilidade, sem deixar de lado todo o sentimento e expressão que carrega das origens ciganas, onde habita a melancolia e a alegria com toda técnica e swing do jazz, anotando muita sensibilidade, construindo uma sonoridade única, que viria influenciar diversas gerações de músicos pós-Segunda Guerra . Vale conferir! Caricatura feita a nanquim sobre papel scholler. Walter Jr.

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Os deputados mais ricos com a ajuda do povo

Os 567 parlamentares empossados nesta terça-feira na Câmara e no Senado declararam à Justiça Eleitoral ter um patrimônio total de R$ 1,6 bilhão. Do montante, R$ 792 milhões estão em nome de apenas uma dezena de congressistas. Ou seja: metade de todo o patrimônio declarado pelos deputados e senadores está nas mãos de apenas 2% dos eleitos em outubro para as duas Casas. ( Qual deve ser a prioridade do novo Congresso? Vote )
O site Congresso em Foco com base em informações prestadas pelos então candidatos à Justiça eleitoral. Cada parlamentar declarou possuir, em média, R$ 2,9 milhões em imóveis, empresas, fazendas, veículos, objetos de arte, dinheiro em espécie e aplicações financeiras, entre outros bens.
Alagoas, estado com pior índice de desenvolvimento humano (IDH) e com uma das menores rendas per capita do país, tem como representante o homem mais rico do Congresso: o deputado João Lyra (PTB-AL), que tem uma fortuna declarada de R$ 240,39 milhões.
Lyra é dono de um império que reúne mais de dez grandes empresas no estado - incluindo usinas sucroalcooleiras, fábrica de fertilizantes, empresas de táxi aéreo, de comunicação e concessionária de veículos.
O senador Blairo Maggi (PR-MT) fica em segundo lugar na lista, com um patrimônio de R$ 152,470 milhões. Ex-governador de Mato Grosso, o parlamentar é proprietário do Grupo Amaggi, um dos maiores exportadores de soja do Brasil. Chegou a ser considerado o maior produtor individual do produto no mundo, responsável por 5% da produção anual do grão brasileiro.
O terceiro mais rico também tem fortes ligações com o agronegócio. Reeleito para o segundo mandato consecutivo, o deputado Alfredo Kaefer (PSDB-PR) informou ter R$ 95,7 milhões em bens. Mais da metade da riqueza do paranaense tem como origem cotas da Diplomata Industrial e Comercial, uma das maiores produtoras de aves para abate do país.
Confira a lista dos dez mais ricos, segundo dados do Congresso em Foco:
1 - Deputado João Lyra (PTB-AL) - R$ 240.395.155,75
2 - Senador Blairo Maggi (PR-MT) - R$ 152.470.034,00
3 - Deputado Alfredo Kaefer (PSDB-PR) - R$ 95.728.260,00
4 - Deputado Newton Cardoso (PMDB-MG) - R$ 77.956.890,08
5 - Deputado Sandro Mabel (PR-GO) - R$ 70.992.163,06
6 - Deputado Paulo Maluf (PP-SP) - R$ 39.480.780,96
7 - Senador Eunício (PMDB-CE) - R$ 36.737.673,19
8- Deputado Reinaldo Azambuja (PSDB-MS) - R$ 31.907.723,00
9 - Senador Ivo Cassol (PP-RO) - R$ 29.874.832,00
10 - Senador Eduardo Braga (PMDB-AM) - R$ 16.487.003,64
Ah, só faltou Garotinho que só tem uma casa na lapa e um telefone, né! Vou dar uma saidinha e chupar uma laranja!!

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

No microondas é mais rápido...


Depois da posse em Brasília...


Tiririca agradece aos eleitores: " muito obrigado e um abraço por trás"

O deputado federal mais votado no país, o palhaço Tiririca (PR-SP) foi de longe o mais assediado na cerimônia de posse na Câmara dos Deputados. Recém operado da vesícula, caminhava devagar, mais foi o tempo inteiro abraçado e solicitado para fotos. No meio da confusão, atendia aos telefonemas e respondia: " Muito obrigado. Um grande abraço por trás".

No Senado, disputa é pela direção das comissões temáticas

No Senado, o cenário aponta para a recondução de José Sarney (PMDB-AP) para a presidência da Casa. A disputa ocorre em torno da presidência das comissões permanentes. O PSol lançou a candidatura do senador Randolfe Rodrigues (AP), apenas para marcar posição "anti-Sarney".
A posse dos senadores será às 10 horas e a eleição dos cargos da Mesa Diretora também será pela manhã.
O PMDB anunciou que, nesta legislatura, deveria prevalecer o critério da maior bancada para a escolha do comando das comissões, em substituição à regra do maior bloco partidário - que prevaleceu nos últimos quatro anos.
O PT está montando um bloco com PR, PSB, PDT, PCdoB e PRB, que deve reunir 30 senadores. Ficaria maior que o eventual bloco PMDB-PP, com 25 titulares.
O PT já avisou que cede a principal comissão (de Constituição e Justiça - CCJ) ao PMDB, mas a disputa gira em torno da Comissão de Infraestrutura (CI), que tem dois principais postulantes: Lindberg Farias (PT-RJ) e Eduardo Braga (PMDB-AM).
Se prevalecer a regra da maior bancada, o PT não tem chance de ficar com a Comissão de Infraestrutura.

Para complicar, também o senador Fernando Collor (PTB-AL), atual presidente da Comissão, não planeja afastar-se do posto - a não ser que seja agraciado com o comando da Comissão de Relações Exteriores (CRE).

Um dos atrativos da CI é a função de sabatinar os diretores das agências reguladoras - a maioria conclui o mandato nos próximos dois anos.

PMDB aproxima-se da oposição para tentar presidência em 2013

Maior avalista das tranquilas eleições para as Mesas Diretoras da Câmara dos Deputados e do Senado na legislatura que se inicia , o PMDB faz movimentos de aproximação com a oposição nas duas Casas, com vistas a garantir as presidências de ambas no próximo biênio (2013 e 2014).

Na Câmara, o líder do partido, Henrique Eduardo Alves (RN), foi o primeiro a atrair o PSDB e o DEM no apoio ao candidato do governo, Marco Maia (PT-RS), e agora oferece aos tucanos a vice-presidência da Casa, cargo que, pela proporcionalidade das bancadas, poderia ser ocupado pelo PMDB.

No Senado, o presidente José Sarney (PDMB-AP) é candidato único à reeleição. Entretanto, de olho em sua sucessão daqui a dois anos, o líder Renan Calheiros (AL) faz afagos à oposição na divisão das comissões temáticas.

Com essas movimentações, o PMDB reafirma ao Palácio do Planalto que é o partido mais forte do Legislativo e se cacifa para as negociações do segundo escalão a ser definido pela presidente Dilma Rousseff. O caminho para isso, porém, é o estabelecimento de uma relação de desconfiança com o PT, seu maior parceiro na aliança governista.

No Senado, o líder do PMDB, Renan Calheiros (AL), que aspira retomar a presidência da Casa em 2012, defende que seja obedecido o critério do tamanho das bancadas de cada partido na distribuição das presidências das comissões temáticas - e não dos blocos, como quer o PT.

Na prática, fazer a distribuição dos cargos aos moldes previstos pelos petistas tira poder da oposição, já que PT e PMDB estão compondo grandes blocos parlamentares com partidos da base governista que teriam preferência na escolha dos cargos das comissões. O PT negocia formação de um bloco com seis partidos, totalizando 30 senadores - seria a maior bancada da Casa.

Nesse sentido, a proposta de Renan favorece o PSDB, que tem a terceira maior bancada partidária (10) e poderia fazer a terceira escolha, atrás do PMDB (19) e do PT (15). "O PMDB está correto em defender a escolha partidária e não por bloco. A ideia de fazer valer a formação de blocos esmaga a minoria", diz o líder da bancada tucana, Álvaro Dias (PR).

A bancada do PT rejeitou o critério proposto por Renan, alegando que a proposta beneficia a oposição. No entanto, deve prevalecer a tese defendida pelo pemedebista. Assim, o PSDB poderá presidir a Comissão de Infraestrutura, responsável pela aprovação dos indicados às agências reguladoras.

Se o critério for o dos blocos, o PSDB cairá da terceira para a quinta opção, perdendo direito a escolher a Infraestrutura. O governo não quer entregar o comando dessa comissão à oposição. O PT tem dois postulantes: Lindberg Farias (RJ) e Delcídio Amaral (MS) - este, caso não fique com a CAE.

Renan tem tomado a iniciativa de procurar os líderes do PSDB e do Democratas - partido da oposição cuja bancada caiu de 13 para cinco senadores - para negociar a divisão de espaço no Senado. Numa atitude que surpreendeu os líderes da oposição, Renan chegou a visitá-los em seus gabinetes.

O gesto de aproximação foi interpretado como tentativa de facilitar a eleição de Sarney. E abrir caminho para 2012. Outra atitude de Renan interpretada como um aceno à oposição foi ele não ter concordado em fazer acordo de rodízio na presidência da Casa com o PT.

Na Câmara, o líder Henrique Alves foi o primeiro a garantir a oposição na chapa de Marco Maia, ainda em dezembro. Com isso, inibiu o surgimento de candidaturas nesses partidos e também nos da base. Sua estratégia foi o de prometer que, com o petista, teriam espaço garantido na Mesa pelo critério da proporcionalidade entre o tamanho das bancadas e as cadeiras disponíveis.

Na semana passada, fez outro aceno à oposição. Procurou o deputado federal Eduardo Gomes (PSDB-TO) para lhe dizer que o PMDB avalia ficar com a primeira-secretaria da Câmara e não com a vice-presidência. Trata-se de uma prerrogativa da legenda, que elegeu a segunda maior bancada e teria, assim, direito ao segundo cargo da Mesa.

O gesto desagradou setores do PT e do Planalto, que temem uma reedição do que ocorreu no segundo mandato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, quando o então senador Marconi Perillo (PSDB-GO) era vice-presidente do Senado e, em muitas das vezes em que assumiu, trabalhou contra o governo. Tanto que neste ano, o PT, com segunda maior bancada no Senado, fez a opção pela primeira vice-presidência em vez da primeira-secretaria.

Desta vez, contudo, as atuações de Renan e de Alves foram vistas pelo Planalto com desaprovação, embora necessárias para que não houvesse surpresas no primeiro ano do mandato da presidente Dilma Rousseff.

A única hipótese de surpresa desagradável para o governo amanhã será se o desafiante de Maia, Sandro Mabel (PR-GO), derrotá-lo, o que não é previsto por quase nenhum deputado.